segunda-feira, 31 de outubro de 2016

Não há coincidencias....

Todas as pessoas, sem exceção, cruzam-se no nosso caminho, sem nunca se tratar de coincidências. Umas mais outras menos, todas vão influenciar as nossas vidas. Quem ainda pensa que vive numa ilha ou em bolhas de ar, apenas se está a proteger do seu próprio crescimento. E está a adia-lo!(porque mais tarde ou mais cedo, o universo vai encarregar-se de colocar tudo em funcionamento).
E proteger porquê? Porque todo o crescimento implica perdas e sofrimento. Tal como uma criança que vira um adulto anos mais tarde, também ela teve que crescer com as opções que tomou. Imaginem uma criança a querer ficar para sempre no conforto e quentinho do colo da mãe? Que adulto poderia ser? Que céus poderia ter cruzado, que voos poderia ter feito, que liberdade poderia ter assumido, que nova família poderia constituir, se quisesse ficar para sempre no colo dos pais? Também a criança teve que, um dia, escolher entre o risco de perder, de largar, de deixar, para partir para a aventura da vida, por muitas dificuldades e sofrimentos que isso poderia causar.

Assim sendo, o que estamos nós à espera, adultos, para estarmos atentos e termos coragem de ver mais longe, sair fora do quadrado, e ver os desafios que nos são colocados maioritariamente pelas pessoas que estão à nossa volta? Despertar para esta consciência é fácil. O mais difícil é tomar decisões. É preciso ter consciência que os ganhos dessas decisões apenas se manifestam mais tarde, porque a curto prazo apenas só são visíveis as perdas. É importante mantermos o foco, libertarmos a nossa mente de quaisquer crenças e dar voz ao nosso coração, ao nosso 'sentir'.

Nós não somos marionetes, nem ninguém tem o destino traçado, mas se nos deixarmos levar um pouco pelo que a vida tem para oferecer, tendo coragem de deixar para trás o que já não significa nada além de conformismo e conforto fácil, vamos descobrir novas formas de estar que também são possíveis e se calhar têm mais a haver connosco.

Por isso é preciso largar. É preciso abrirmos o nosso coração para a vida, resistirmos à tentação de querer controlar tudo, e ... apenas deixarmos fluir. O resultado não se vê no próprio dia, mas garantidamente em muito poucos dias. Mas só vai ver quem tiver a coragem de deixar ir, de perder algumas coisas. Esta é a condição! O que se vai ganhar é muito melhor, e afinal de contas o que se perdeu também já não tinha importância!

Coragem!