Páginas

quinta-feira, 17 de novembro de 2016

A outra margem...



Um viajante caminhava ao longo de um rio com o objetivo de chegar à outra margem, que era o seu destino. Certo momento, apareceu um senhor de idade num barco a remos. O barqueiro convidou o viajante a entrar prometendo levá-lo à outra margem. Ao entrar no barco, o viajante reparou que cada remo tinha uma palavra marcada. Num estava escrito ''Acreditar'' e no outro ''Agir''.
Curioso, o viajante perguntou o significado das palavras nos remos.
O barqueiro pegou no remo ''Acreditar'' e remou, remou, remou com toda a força e o barco começou a andar em circulos chegando a lado nenhum.
Depois pegou no remo que tinha escrito ''Agir'' e fez o mesmo e obteve o mesmo resultado.
Finalmente, pegou nos dois remos e utilizou-os ao mesmo tempo navegando calmamente pelas águas até à outra margem.
Então o barqueiro disse ao viajente: - este barco é a auto-confiança e a margem a meta que queremos atingir. Para que o barco da auto-confiança navegue até à meta é preciso impulsionar os dois remos com a mesma intensidade: Agir e Acreditar!

Simples, mas com muito significado. Quantas vezes andamos em circulos a pensar que estamos a fazer tudo?